Adquirindo Recursos para o Transporte Coletivo


Publicado em 30/11/2020 por Patrick Yutaka


PMMU

De acordo com o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), a maioria do fundo para o funcionamento do transporte público nas cidades é proveniente de seus usuários, que usualmente são pessoas com renda mais baixa.

Portanto para diminuir a tarifa das passagens pode-se utilizar dos recursos de cofres públicos, empresas privadas e até mesmo das pessoas que não optam o uso desse tipo de transporte, uma vez que todos seriam beneficiados com o aumento de usuários no transporte coletivo.

Os meios para a arrecadação dos fundos foram pesquisadas por um especialista sobre o assunto Mobilidade Urbana, Carlos Henrique de Carvalho, que sugere aumentar os impostos como: 

  1. IPTU - Imposto maior em regiões que seriam valorizadas com o aumento do fluxo do transporte coletivo;
  2. IPVA -  Menos tráfego devido o aumento dos usuários ao transporte público;
  3. ICMS da gasolina - O Estado repassaria uma pequena parte para cumprir com seu papel social.

Com a finalidade de poder arrecadar mais fundo para o transporte coletivo.

" o atual modelo do sistema de transporte está preso a um ciclo vicioso, na medida em que o encarecimento das tarifas de ônibus empurra a demanda para veículos individual, onerando ainda mais o custo do transporte público, já que menos pessoas pagarão por ele."(Inesc)

Segundo Associação Nacional de Transporte Público (2018 apud Inesc, 2019) 44% do total de quilômetros percorridos são de veículos individuais contra 42% dos ônibus, o que deixa claro a insatisfação do uso do transporte coletivo marcado pelo estímulo do passadas indústrias automobilísticas e o aumento frequente das tarifas atualmente.

Referência
INESC. Um fundo para transformar a mobilidade urbana. Disponível em: < https://outraspalavras.net/cidadesemtranse/um-fundo-para-transformar-a-mobilidade-urbana/ > Acesso em: 01 de novembro de 2019
Voltar